top of page

A importância dos níveis de Fósforo para a agricultura



Começo esse texto com uma informação do Dr. Luiz Tadeu Jordão, pesquisador do Portal Ciência do Solo; Professor de pós-graduação ESALQ/USP e Colunista Globo Rural, que é a seguinte:

“Nossas pesquisas em 15 estados brasileiros revelaram que o teor de fósforo no solo é baixíssimo em camadas abaixo de 30 cm de profundidade, sobretudo em solos ácidos sem manejo com calcário. Neste contexto, o Fosfato Natural Parcialmente Acidulado (FNPA) é uma tecnologia indispensável para construção de ambientes de produção em áreas de abertura ou reforma, como também alternativa aos fertilizantes fosfatados como o MAP diante da alta de preços.”

O Fosforo é juntamente com o Nitrogênio e o Potássio é um dos nutrientes mais importantes para uma planta, sendo indispensável para o crescimento e desenvolvimento das culturas. Em decorrência da quantidade absorvida pela planta, o Fósforo é considerado um macronutriente.


Quando os níveis de Fósforo estiverem abaixo das necessidades da cultura, deve-se realizar adubação de reposição e manutenção. Nas plantas, o Fósforo desempenha papel fundamental na formação de ATP (Trifosfato de adenosina), sendo ela a principal fonte de energia para a realização de processos como a fotossíntese, divisão celular, transporte de assimilados e carga genética.


Em consequência do seu papel e importância na participação de processos internos da morfologia das plantas, o Fósforo apresenta relação com a produtividade das culturas, na soja por exemplo, NETO et. al, (2010) avaliando doses de adubação fosfatada verificou respostas positivas ao incremento de produtividade até a máxima eficiência agronômica (MEA)


Os principais fatores que afetam a disponibilidade de Fósforo para as plantas incluem: teor de argila, níveis de Fósforo, pH e matéria orgânica do solo.


Um dos primeiros sintomas observados da deficiência de Fósforo é a diminuição do crescimento das plantas, podendo causar clorose nas folhas e necrose inter-nervais, sendo que as folhas velhas são mais afetadas.

Para se evitar os problemas ocasionados pela carência desse nutriente, uma correta amostragem do solo, o acompanhamento do desenvolvimento da lavoura e o monitoramento nutricional através da análise de folhas são fundamentais.


Através dessas ações e interpretando corretamente os resultados, além de conhecer o histórico da região, recomendações de correção ou manutenção deverão ser feitas. Caso seja uma cultura perene, poderão ser feitas ao longo do ciclo, já uma cultura anual, o manejo deverá ocorrer no próximo ciclo, evitando que a deficiência do fósforo no solo não afete ainda mais sua produtividade.



Mas, como realizar uma adubação frente as recentes altas de preços dos fertilizantes?


Diante deste cenário o FNPA (fosfato natural parcialmente acidulado) é uma excelente alternativa, pois propicia uma adubação com qualidade, devido ao seu elevado percentual solúvel, presença de teores de cálcio, enxofre e matéria orgânica e pelo seu reduzido custo frente as convencionais alternativas de Super Simples, Super Triplo e MAP.


Porém o produtor pode se deparar com uma objeção na operação, tendo em vista que as faixas de aplicação serão menores, uma vez que esse produto é tipo farelado, porém o custo devido à redução de faixa, considerando uma redução de 30 metros para 10 metros, em 1.000 hectares, vai gerar uma despesa extra de diesel na faixa de R$6.500,00 (seis mil e quinhentos reais), mas ao se comparar com a economia gerada frente as alternativas tradicionais é superior a R$150.000,00 (cento e cinquenta mil reais) nestes mesmos 1.000 hectares.


Com essa informação na ponta do lápis, fica claro que a viabilidade agro econômica do FNPA é extremamente relevante, motivo pelo qual, grandes produtores já estão utilizando essa alternativa a várias safras, inclusive obtendo altas produtividades tanto na soja como no algodão.


Devido a essa importância, todo profissional do campo, recém-formado ou não, deve conhecer suas funções, as melhores formas de fornecer esse elemento ao sistema e a identificar a deficiência de fósforo.

É importante destacar que sempre que planejamos a próxima safra, seja de qualquer cultura, é essencial realizar a análise química do solo e garantir que as doses dos nutrientes necessária para alta produtividade seja atendida.


O papel do produtor ou do profissional que acompanha a área entender e promover a melhor decisão para alcançar altas produtividades e assim gerar lucro.


Se gostou deste conteúdo ou precisa de algum apoio nestas análises ou soluções apresentadas, faça contato e conheça nossas alternativas para fornecimento de fósforo com elevada solubilidade em CNA+H2O (70%).


 

Renato Almeida. Fontes: Dr. Luiz Tadeu Jordão (Doutor em Agronomia); Gustavo Daltto e Equipe de Serviços Agronômicos, EMBRAPA, NETO, et. al. ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DA SOJA, Maurício Siqueira dos Santos (Eng. Agrônomo).

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page